Se apegue ao objetivo e não ao processo.

Se apegue ao objetivo e não ao processo.

Lembro no início da carreira como era importante para mim defender a realização de um determinado processo para conseguir entregar alguma coisa realmente importante, só com meu amadurecimento profissional percebi que eu deveria me apegar ao objetivo e não processo.

A sensação era que somente passando por todas aquelas etapas eu conseguiria propor algo realmente interessante, até escutar a frase: “Se apegue ao objetivo e não ao processo.” de um profissional mais experiente que comecei a refletir.

Fui percebendo que muita das vezes o processo me levava a resultados que pareciam óbvios, isso me dava a sensação de estar gastando um tempo precioso em processos que não me geravam nenhum valor adicional as soluções criadas.

Minha proposta aqui não é sugerir que não seja feito processos ou utilizados frameworks em nosso trabalho, mas que isso seja feito quando de fato for necessário, com clareza dos objetivos que queremos alcançar.

Hoje entendo que naquele momento da minha carreira, defender algo que fazia eu me sentir mais experiente era exatamente o que evidenciava a minha inexperiência, pois estava apegado ao processo e não ao objetivo.

Como líder, percebo que isso é mais comum do que eu imaginava, ainda é muito difícil pra novos profissionais ou profissionais menos experientes entender que o processo é simplesmente uma ferramenta para alcançar os objetivos.

Existe uma pergunta a se fazer antes de dizer: “Temos que fazer o processo”, A notícia boa, isso é algo fácil de ser feita, minha proposta é que seja adicionado o “por que”, assim vamos sempre nos questionar o seguinte maneira: “Por que temos que fazer o processo?“.

Reforço que esta minha provocação não tem a intenção de invalidar a necessidade de realizar processos ou utilizar ferramentas de design mas sim, de entender o porque estamos usando cada uma das ferramentas e o principal com qual objetivo.

Se você não sabe o por que está sendo realizado alguma atividade, provavelmente esta atividade não deveria estar sendo realizada.

Não se esqueçam que ferramentas como o próprio nome diz, são ferramentas, formas de alcançar o objetivo principal. Vejo o seguinte exemplo: O pedreiro tem habilidade de construir uma casa independente das ferramentas que ele tiver, mesmo que exista diferença entre boas ferramentas e ferramentas ruins.

Ainda que boas ferramentas ajudem na performance e na qualidade do trabalho elas não devem ser a limitação para que você faça aquilo que você sabe, pense nisto!

Uso ferramentas e processos de forma consciente, sempre que necessário, e tenha clareza no porque este processo esta sendo realizado, assim você irá aproveitar o melhor das boas práticas de forma produtiva e consistente.

Quer encontrar bons profissionais que se apegam no objetivo e não processo? Acesso CriativUX.com e conheça os melhores!!!

Não deixe de ler nossos últimos posts: ” O que um profissional de UX Design não deve fazer ”  e ” Os benefício do teste de usabilidade“.

Até a próxima pessoal!!!

admin

Pai do Rodrigo e da Kiara, casado Mineiro que vive em São Paulo desde os 2 anos de idade. Virginiano, apaixonado por Design, inovação e tecnologia, Publicitário pós graduado em AI e UX, criador da Lene Studio, consultoria em design de produtos. Adora, compor músicas e sempre que pode participa do futebol com os amigos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *